Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao software jurídico

Notícias

Newsletter

“Interface entre a Jurisdição da Infância e Juventude e a Justiça Criminal” é tema de webinar

Evento realizado pela CIJ em parceria com a EJUS. A Coordenadoria da Infância e da Juventude (CIJ) do Tribunal de Justiça de São Paulo, em parceria com a Escola Judicial dos Servidores (EJUS), realizou, na sexta-feira (10), a palestra “Interface entre a Jurisdição da Infância e Juventude e a Justiça Criminal”. O webinar contou com a participação das juízas Cristiana de Faria Cordeiro (TJRJ) e Dora Aparecida Martins (TJSP). Acompanharam o evento 286 pessoas, entre público interno e externo.   Na abertura da palestra, o coordenador da CIJ, desembargador Reinaldo Cintra Torres de Carvalho, elogiou as convidadas do dia e afirmou que os encontros servem para gerar reflexão sobre temas persos: “O importante não é apenas ouvir, mas pensar no que foi dito”, afirmou. Durante o webinar, foram abordados assuntos como resultados do encarceramento, articulação de rede e cidadania. A juíza aposentada Dora Aparecida Martins discorreu sobre garantia de direitos, a importância de diminuir distâncias entre julgado e julgador e de criar empatia. Citando o ECA, a magistrada enfatizou que são responsáveis por crianças e adolescentes a família, a sociedade e o Estado. “Como a sociedade pode participar do processo de proteção, cuidado e garantias de direitos? Talvez tenhamos que participar mais dos processos da nossa cidade para não só lamentar, mas também contribuir”, afirmou.   A juíza Cristiana de Faria Cordeiro trouxe ao debate um pouco de sua vivência nas áreas da Infância e Criminal. “Partindo do sistema de garantia de direitos da área infanto-juvenil é que veio a ideia de tentar também articular rede na área Criminal, dando dignidade a algumas pessoas que chegam até nós, para que tenham acesso a programas como os de moradia”, disse. “A ideia é que, de alguma maneira, os presos possam ter um vislumbre de uma vida diferente daquela que estavam levando”, completou.   Há oito anos trabalhando no Departamento de Execuções da Infância e Juventude (Deij), a juíza do TJSP Cindy Covre Rontani Fonseca leu os comentários e perguntas do público às convidadas ao final das exposições e aproveitou para enfatizar a importância do acompanhamento multidisciplinar desenvolvido na Fundação Casa, que inclui psicólogos e assistentes sociais. “Vejo a importância do adolescente ser visto para além do ato que cometeu”, ponderou.   A palestra estará disponível no media center da Coordenadoria da Infância e da EJUS.   imprensatj@tjsp.jus.br   Siga o TJSP nas redes sociais:  www.facebook.com/tjspoficial www.twitter.com/tjspoficial www.youtube.com/tjspoficial www.flickr.com/tjsp_oficial www.instagram.com/tjspoficial
13/09/2021 (00:00)

Contate-nos

CRESPO E FAIS - A d v o g a d o s.

Avenida Prestes Maia  241  - 20° Andar - Conjunto 2006
-  Centro
 -  São Paulo / SP
-  CEP: 01031-001
+55 (11) 940030456
© 2021 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.